"A matéria-prima do poeta é a palavra e, assim como o escultor extrai a forma de um bloco, o escritor tem toda a liberdade para manipular as palavras, mesmo que isso implique romper com as normas tradicionais da gramática.
Limitar a poética às tradições de uma língua é não reconhecer, também, a volatilidade das falas". (Autor Desconhecido)
Seja bem-vindo. Hoje é

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Depois...



Depois...

Depois de tanto nos amarmos,
Depois de muitos beijos, caricias trocarmos
Depois de nossos corpos intensamente se entregarem;
E de tantas juras de sonhos planejados;
Depois de tantos sorrisos
Por felizes momentos, 
Depois de acreditarmos em nossos sentimentos;
Depois de um sonho de amor
Acordamos para nossa realidade
Que não somos um do outro a metade;
Fomos uma estação de primavera,
Uma maravilhosa quimera
Que se findou com o fim do verão.

Não me queira tão mal,
Apenas é preciso acordar no tempo
E deixar que nossas vidas refaçam 
Fomos imensamente felizes 
Não permita que a dor desfaça 
As lembranças tão lindas 
De instantes que em nós fizeram historias. 

Ataíde Lemos

3 comentários:

Ivete Briz & Poesias disse...

Oii Nobre Poeta Ataídes Lemos!!Passandúh para parabenizá-lo pelo seus bonitos escritos.Escreves divinamente.Parabéns!Tens minha admiração.Meus carinhos e agradecimentos...

Afetuosamente,

____________-Ivete Briz♥

TERNURINHA SENTIMENTOS disse...

Oi amado amigo,passei aqui no seu cantinho,para reler mais uma vez seus poemas e escritos.Parabens amigo.Adoro voce.Ana Maria

Anônimo disse...

Ola amigo lindo,amo tudo o que escreve,parabens

Direitos Autorais

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.
Todas as imagens, postadas aqui foram retiradas da Internet e por esse motivo suponho ser do domínio público. No caso em que haja algum problema ou erro com material protegido por direitos autorais, a quebra dos direitos de autor não é intencional.



Seu IP foi registrado - Grato pela visita!

IP