"A matéria-prima do poeta é a palavra e, assim como o escultor extrai a forma de um bloco, o escritor tem toda a liberdade para manipular as palavras, mesmo que isso implique romper com as normas tradicionais da gramática.
Limitar a poética às tradições de uma língua é não reconhecer, também, a volatilidade das falas". (Autor Desconhecido)
Seja bem-vindo. Hoje é

sábado, 13 de março de 2010

Mesmo no silêncio

Este amor explode o peito
Difícil de contê-lo
Ou tentar esconde-lo.

Meus olhos refletem
No brilho que reluz do olhar.

As palavras falam
E entregam-me
Mesmo no silêncio
Da boca que se cala.

(Ataíde Lemos)

3 comentários:

Barbara Bastos disse...

Palavras simples que expressaram profundidade de sentimento. Esta é uma das maiores mágicas da poesia!
Adorei!
Bjs

REGGINA MOON disse...

Poeta Ataíde,

Lindo verso!!De grande expressão, muito se diz, em poucas palavras!

Parabéns pelo Dia Nacional da Poesia!!

Agradeço por compartilhar seus lindos Poemas e fazer assim, os nossos dias melhores....

beijos,

Reggina Moon

O CANTO DE MARIA disse...

mesmo no silêncio o amor se manifesta!
linda poesia, Poeta!
beijos cariocas

Direitos Autorais

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.
Todas as imagens, postadas aqui foram retiradas da Internet e por esse motivo suponho ser do domínio público. No caso em que haja algum problema ou erro com material protegido por direitos autorais, a quebra dos direitos de autor não é intencional.



Seu IP foi registrado - Grato pela visita!

IP