"A matéria-prima do poeta é a palavra e, assim como o escultor extrai a forma de um bloco, o escritor tem toda a liberdade para manipular as palavras, mesmo que isso implique romper com as normas tradicionais da gramática.
Limitar a poética às tradições de uma língua é não reconhecer, também, a volatilidade das falas". (Autor Desconhecido)
Seja bem-vindo. Hoje é

sábado, 13 de março de 2010

Não te esquerei mesmo assim


Se lembrares de mim, lembrarei de você
Se esqueceres de mim, não tem importância
Pois, mesmo em silêncio com você permanecerei.

Tens seu espaço reservado em meu coração
És especial, único; meu amor por ti é singular
Nem sua ausência ou indiferença pode outro ocupá-lo.

O amor que sinto por ti é tamanho
Que nem mesmo traças do tempo corroem
Ainda que não dê a atenção ao valor que mereço.

(Ataíde Lemos)

2 comentários:

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá amigo! Passando para te desejar um ótimo final de semana e dizer que adorei o poema, muito profundo.

Abraços e fiques com DEUS.

Furtado.

REGGINA MOON disse...

Ataíde,

Grandes amores são mesmo muito difíceis de se esquecer, deixam rastros e saudades e assim torna-se uma..........lembrança.

Lindo verso!!

Beijos e ótima semana!!

Reggina Moon

Direitos Autorais

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.
Todas as imagens, postadas aqui foram retiradas da Internet e por esse motivo suponho ser do domínio público. No caso em que haja algum problema ou erro com material protegido por direitos autorais, a quebra dos direitos de autor não é intencional.



Seu IP foi registrado - Grato pela visita!

IP