"A matéria-prima do poeta é a palavra e, assim como o escultor extrai a forma de um bloco, o escritor tem toda a liberdade para manipular as palavras, mesmo que isso implique romper com as normas tradicionais da gramática.
Limitar a poética às tradições de uma língua é não reconhecer, também, a volatilidade das falas". (Autor Desconhecido)
Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 7 de novembro de 2010

Breve sonho




Foi como de repente o sentir de um perfume
Que impregnou-se em mim e sai à procura
Da fragrância que entorpeceu todo meu Ser
Deixando-me entregue desvairadamente.

Foi como despertar da atração pela primavera
Onde uma flor bela em minha essência floriu
E transformou meu vazio coração num jardim
E borboletas vieram repousar fazendo festa.

Foi como o encanto do canto de um pássaro
Ecoando uma canção para atrair sua amada
E assim enamorar entre o bálsamo das flores.

Mas, foi fascinação de uma bela e doce estação
Propiciando raros momentos em eternas lembranças
Que fez de um breve sonho permanente saudades.

Ataíde Lemos

Um comentário:

REGGINA MOON disse...

Ataíde,

A vida é repleta de Breves Sonhos...e infelizmente, muitos deles se vão...e com as idas e vindas do tempo, novos sonhos aparecem, e assim seguimos nossas vidas!!

Belíssimo sempre seu Blog, seus versos cada dia mais encantadores!

Grande beijo e boa semana!!

Reggina Moon

Direitos Autorais

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.
Todas as imagens, postadas aqui foram retiradas da Internet e por esse motivo suponho ser do domínio público. No caso em que haja algum problema ou erro com material protegido por direitos autorais, a quebra dos direitos de autor não é intencional.



Seu IP foi registrado - Grato pela visita!

IP