"A matéria-prima do poeta é a palavra e, assim como o escultor extrai a forma de um bloco, o escritor tem toda a liberdade para manipular as palavras, mesmo que isso implique romper com as normas tradicionais da gramática.
Limitar a poética às tradições de uma língua é não reconhecer, também, a volatilidade das falas". (Autor Desconhecido)
Seja bem-vindo. Hoje é

domingo, 20 de setembro de 2009

Mundo Virtual











Na telinha de um computador
Que parece tão fria
Encontro ternura e calor
Se vai a solidão ficando a alegria.

Sempre um sorriso me espera
Um “oi”, um “bom dia” uma poesia
Ou uma suave canção na tela
Balsamo para meu dia a dia.

Um mundo que se diz virtual
É capaz de irradiar
Luz, paz nun mundo real
Um novo jeito de amar.

Pela telinha de um computador
Encontro muitos amigos
Fonte onde jorra o amor
Deixando meu mundo mais bonito.

E assim, neste mundo virtual
Espalha-se amor, carinho, paz
É via de mão dupla, pois leva e traz
Vida para o mundo real.

(Ataíde Lemos)

2 comentários:

REGGINA MOON disse...

Ataíde,

Lindo Poema!Realmente, é gratificante poder viver nesse mundo virtual, que chega a ser quase real, onde encontramos pessoas especiais pelo mundo afora, que nos acompanham em nosso dia-a-dia.

Um beijo, ótima semana!

Reggina Moon

Mariantonia disse...

È gradificante!!! muito lindo Obrigado por existir!! e escrever tantas coisas linda parabens.

Direitos Autorais

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98, violá-los é crime estabelecido pelo artigo 184 do Código Penal Brasileiro.
Todas as imagens, postadas aqui foram retiradas da Internet e por esse motivo suponho ser do domínio público. No caso em que haja algum problema ou erro com material protegido por direitos autorais, a quebra dos direitos de autor não é intencional.



Seu IP foi registrado - Grato pela visita!

IP